Facebook Twitter RSS

David X. Cohen fala sobre o (último) final de Futurama


Em entrevista recente ao site Popular Mechanics, o produtor executivo e co-criador de Futurama David X. Cohen falou sobre o final da série, o que esperar dessa temporada, novas tecnologias e, é claro, a possibilidade de um retorno.

Popular Mechanics: Como você descobriu que essa seria a última temporada?
David X. Cohen: Como de costume, estávamos escrevendo o que seria o episódio final antes de receber a notícia de um jeito ou de outro. O que estávamos fazendo neste caso, já que temos tanta experiência, é escrever o episódio tendo em mente que este será o último de todos. E então há algumas semanas recebemos o telefonema final da Comedy Central. Eles estiveram analisando a matemática da coisa e decidiram não continuar. Mas quando o processo se arrasta por tanto tempo, já pra pra saber pra onde o vento está assoprando.


Já estivemos nessa situação algumas vezes. Já tivemos quatro finais. Primeiro na Fox, depois no final de nossa reencarnação nos filmes, e então após as duas primeiras temporadas na Comedy Central, e agora. E, incrivelmente, foi Ken Keeler quem escreveu estes quatro finais, sendo o maior roteiristas de episódios finais na televisão. Não existem muitas séries que podem dizer, "Somos muito bons em escrever finais". Acho que dessa vez será o último episódio de todos.

Popular Mechanics: E se for realmente o último episódio, você ficaria feliz na forma como acabou?
Cohen: Esta é sem dúvida uma de nossas melhores temporadas, na minha opinião. Se esse for o fim, ficarei muito orgulhoso que acabe dessa forma sem apelar.


"Esta é sem dúvida uma de nossas melhores temporadas"


Popular Mechanics: O que podemos esperar dessa temporada?
Cohen: Nesta última temporada vamos aproveitar bastante a relação entre Fry e Leela - o que sempre é bom material para um grande final. A temporada começa com um episódio mostrando os dois em sua primeira viagem romântica, que, é claro, acaba dando errado à moda clássica de Futurama. Sem que eles saibam, o isolado bangalô romântico deles é, na verdade um zoológico alienígena.


Vamos então ao final, onde veremos o casamento entre Fry e Leela. Muita gente reclamou porque acham que estou estragando o final dando essa informação, mas na verdade este é só o começo. Há uma quantia considerável de viagem no tempo e violência, porém realizados com bom gosto. Você terá que ver como tudo isso termina, mas é uma boa conclusão à série.

Popular Mechanics: Que tecnologias vocês estão abordando nessa temporada?
Cohen: Uma coisa que foi da realidade para a nova temporada é a impressora 3D. Na verdade, temos uma dessas. Ken Keeler [roteirista de Futurama] tem um mestrado em engenharia elétrica e um PhD em matemática aplicada, então ele montou a impressora durante o horário de almoço por um mês, e desde então ela tem funcionado meio que continuamente durante toda temporada. As pessoas nos perguntam como conseguimos ideias para essa temporada. Acho que é por causa dos vapores do plástico que estavam no ar por lá.


Estávamos imprimindo pequenos Benders e todo tipo de coisas espetaculares. Essa foi a inspiração para um episódio baseado em impressão 3D- provavelmente a primeira série a abordar essa tecnologia. No episódio, Bender conhece seu herói, um famoso cantor de folk que foi pra cadeia pela trigésima vez,e Bender quer duplicar seu sucesso. É claro que isso significa duplicar sua guitarra. Suas tentativas de roubo em uma prisão de segurança máxima falham, então ele tem que recorrer à tecnologia de impressão 3D para duplicar a guitarra - novamente com consequências terríveis.

Sempre nos alegramos quando conseguimos ideias da vida real. Mas também tem alguns exemplos com tecnologias mais absurdas vindo aí. temos um episódio chamado "The Inhuman Torch" (algo como "A Tocha Desumana"), em que as pessoas começam a minar hélio do sol, graças em parte à tecnologia anti-calor do Professor.

Também teremos tecnologia para ressuscitar robôs mortos. Quando Calculon, o robô favorito de Bender morre, Bender tem que trazer ele de volta usando uma moderna cerimônia aparentemente satânica, que também envolve rodar um CD de trás pra frente, estilo Led Zeppelin. Vamos revisitar todo o conceito da alma robótica, que é o software desencarnado rodando na nuvem computacional. Também teremos Dan Castellaneta, que faz a voz de Homer Simpson, de volta como o Robô Diabo.


Popular Mechanics: As visões do futuro com certeza mudaram desde o começo da série.
Cohen: O primeiro episódio é de março de 1999. As mudanças tecnológicas que aconteceram desde então são tão chocantes, que é quase impossível lembrar das coisas que ainda não existiam naquela época. Por exemplo os smartphones, que todos da nossa equipe de roteiro ficam vendo o dia todo o invés de escrever. Apenas cerca da metade de nossa equipe tinha um celular quando começamos em 1998. Alguém aparecia e dizia, "estão te ligando no telefone do escritório". As pessoas ainda não recebiam chamadas direto em seus bolsos nessas coisas que se parecem com comunicadores de Jornada nas Estrelas. Então as coisas que garantimos, essas tecnologias do futuro, chegam e paramos de se impressionar com elas. Se eu te dissesse vinte anos atrás que você teria um computador minúsculo no bolso, isso seria bem impressionante.

Outra coisa são as tecnologias que vieram e se foram durante a produção de Futurama. Por exemplo, DVDs. A ideia de vender séries em DVDs: Isso estava começando quando Futurama estreou. Nem estávamos pensando nisso, porque tudo ainda era no VHS. "Vamos colocar isso em DVD ou VHS?" virou uma pergunta frequente nos dias iniciais de Futurama. E agora [o DVD] está indo embora bem rápido.


Quando assisto aos primeiros episódios agora me faz rir, mas felizmente não é um problema. Sempre que usamos erroneamente uma tecnologia que se torna obsoleta, também usamos uma obsoleta de propósito porque parece engraçado ter um robô operado por manivela. Tivemos uma mistura de tecnologia avançada com tecnologia obsoleta desde o começo, então é difícil dizer se fizemos burrada ou se estávamos apenas sendo espertos e engraçados;

"Não queremos fazer uma versão mal-feita da série."

Popular Mechanics: Agora que o modelo de televisão está mudando - A Netflix lançando temporadas inteiras de uma vez, e a Amazon deixando os espectadores escolherem quais episódios-piloto querem ver, é possível que Futurama volte em outro formato?
Cohen: É certamente uma ideia. Chegamos na fase onde estamos investigando por trás das cenas pra ver quais são as opções. É cedo demais pra ter qualquer informação de verdade, mas certamente a ideia veio à tona, e parece ser uma opção natural para Futurama, já que nossos fãs tendem a ser mais conhecedores da internet que outros fãs. No entanto, temos padrões bem altos para nossa animação. Acho que ninguém de nós iria querer a continuação da série se a qualidade fosse muito reduzida, se fosse produzida com um orçamento bem menor. Não queremos fazer uma versão mal-feita da série.

4 comentários:

  1. Muito bom, "...e parece ser uma opção natural para Futurama, já que nossos fãs tendem a ser mais conhecedores da internet que outros fãs.", é parece que ele conhece muito bem os fãs de futurama. O jeito é torcer ter a continuação da serie pela netflix. Mas ao que parece essa temporada, vai ser uma das melhores e a ultima (torço que não).

    ResponderExcluir
  2. É Verdade que a fox está exibindo a 7ª temporada dublada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, no sabádo passado estreou o episodio ''Zapp Dingbat'', que o Zapp Brannigan namora a mãe da leela

      Excluir
  3. A série tem que continuar :_(

    ResponderExcluir